Selo do “bom” Rei Ezequias contém a cruz e o disco solar alado

O jornal Times of Israel recentemente anunciou que um antigo selo do Rei Ezequias foi descoberto. Além da óbvia comprovação da historicidade desse importante personagem bíblico, descobrimos os seguintes detalhes interessantes:

Arqueólogos decifraram uma impressão de selo que exibe o nome do bíblico Rei Ezequias, do século 8 aC, recentemente encontrado durante as escavações ao lado da Cidade Velha de Jerusalém, anunciou a Universidade Hebraica  na quarta-feira.

(…)

O minúsculo artefato de um centímetro é decorado com motivos de estilo egípcio – um disco solar alado e um ankh, símbolo da vida. Iconografia desse tipo já havia sido utilizada pelos líderes judeus e aparecem em outros selos contemporâneos em todo o antigo Oriente Próximo.

“Os motivos egípcios se espalharam por toda a região ao longo do segundo milênio aC ” e já não  representavam seu significado original, Mazar explicou. Os antigos judeus utilizavam o disco solar para representar o Todo-Poderoso, e as asas curvadas podem ser uma referência à expressão de Ezequias de que “o meu poder é graças à proteção de Deus”, disse ela.

“Não era nada parecido com o que isso significava para os egípcios”, disse ela.

***

Essa surpreendente descoberta derruba duas grandes acusações contra os Estudantes da Bíblia:

1 –  Que o disco solar alado que o Irmão Russell usou em algumas publicações era um símbolo místico egípcio, ou mesmo maçônico. Na realidade, o motivo de o disco solar alado ter sido usado pelos Estudantes da Bíblia é uma referência a Malaquias 4:2, que diz:

“Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas.”

Como vimos no selo de Ezequias, o disco solar alado  já não possuía a conotação que os egípcios davam a ele, mas sim, outra conotação. O que importa não é a origem do símbolo, mas o uso atual dele.

2 – Que os Estudantes da Bíblia ao usarem a cruz coroada como emblema estão cometendo idolatria. Essa é uma das clássicas acusações feitas pelas Testemunhas de Jeová. É verdade que a cruz era um símbolo pagão. Mas o fato é que os Romanos utilizavam vários instrumentos de tortura e a cruz era apenas mais um deles, nada tendo que ver com o paganismo mas apenas com o prolongamento do sofrimento dos condenados à morte. Modernos testes feitos por um médico legista indicaram que pendurar alguém numa estaca simples, com as mãos para cima, levaria a pessoa à morte por sufocamento em pouquíssimo tempo. Sabemos que Jesus e os ladrões ficaram pendurados por horas, portanto, isso indica que alguma forma de viga transversal foi usada para manter as mãos esticadas e prolongar o sofrimento deles. Por fim, existe uma inscrição do século 200 dC conhecida como “Alexamenos graffito”, uma “pixação” ofensiva em que Jesus é representado como um asno na cruz, com os seguintes dizeres: “Alexamenos adora seu Deus”. (Αλεξαμενος ϲεβετε θεον. ϲεβετε) Existem, portanto, indícios médicos e históricos de que o instrumento de tortura na qual Jesus foi pendurado foi uma cruz.

Mas o motivo pelo qual os Estudantes da Bíblia utilizam a cruz coroada como símbolo nada tem a ver com idolatria, mas é apenas para nos lembrar que, para recebermos a “coroa da vida”, precisamos apanhar a cruz de Jesus e segui-lo continuamente:

“… Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.” (Apocalipse 2:10)

“… Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me.” (Mateus 16:24)

Como no caso do disco solar alado, o selo de Ezequias também exibe um ankh, que nada mais é que uma cruz egípcia, ou “crux ansata”, que em latim significa “cruz com alça”. No entanto, o que importa não é o significado original do emblema, mas sim o que ele veio a significar posteriormente para aqueles judeus.

Aparentemente, o fato de Ezequias usar tais símbolos não era visto como um sinal de idolatria da parte de Jeová. Ezequias foi contado como um dos “reis bons” de Israel.

A respeito dele, o livro “Profecia de Isaías I” diz, nas páginas 395-396:

“Como seu antepassado Davi, Ezequias era um homem de fé. Ele prezava muito a Palavra de Deus. Segundo Provérbios 25:1, ele providenciou a compilação da matéria que hoje se encontra em Provérbios, capítulos 25 a 29. Alguns acreditam que ele também compôs o Salmo 119. O comovente hino de gratidão que Ezequias compôs depois de recuperar a saúde indica que era um homem de muita sensibilidade. Ele concluiu que a coisa mais importante na vida era poder louvar a Jeová no Seu templo “todos os dias da nossa vida”. (Isaías 38:9-20) Tenhamos todos esse mesmo sentimento para com a adoração pura!”

image

image

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s